Bem-Vindos. Sentem-se em volta da fogueira, peguem uma xícara de chá e comecemos a aprender os mistérios antigos e a desvendar segredos esquecidos.
Trilhem connosco a floresta sobre o olhar atento da Lua...

Novos artigos serão sempre publicados à segunda-feira e à sexta-feira.




segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Métodos Divinatórios - O Tarot


Hoje damos inicío ao começo de uma série de artigos chamada "Métodos Divinatórios". Iremos começar com o Tarot dado que este é um dos métodos mais conhecidos e utilizados por vários caminhos da Bruxaria e do Paganismo. Iremos ter um artigo de introdução e, posteriormente, um artigo para cada carta dos Arcanos Maiores e um artigo para cada conjunto de Arcanos Menores tal como outros tópicos importantes dentro de cada métodos divinatório. Estes artigos para além de estarem disponíveis no blogue estarão também referenciados no artigo principal de cada método.
Esta série irá também, posteriormente, abranger outros métodos divinatórios como as runas, pêndulos, scrying, etc.

*****


O tarot é um conjunto de 78 cartas, constituídas por 22 arcanos maiores e 56 arcanos menores. Existem diversos baralhos com diferentes designs e estilos, existem os tradicionais, modernos, etc. A escolha do baralho depende do praticante. Se seguir alguma corrente especifica de Tarot ou de trabalho Mágico poderá ter de utilizar um baralho específico para o seu trabalho mas, enquanto solitário, poderá utilizar qualquer baralho. Aconselho sempre a que seja escolhido o baralho com o qual tem mais ligação, que mais atraí. Não escolha apenas porque é bonito ou barato ou caro, escolha algo que fale consigo, que estabeleça uma ligação. Esse será o melhor baralho para trabalhar.

A forma de lançamento também poderá variar dependendo dos métodos utilizados (há quem utilize as cartas invertidas, quem use apenas os arcanos maiores, quem use só os arcanos menores, etc). O método e a forma a usar será uma questão de tentativa e erro até encontrar aquilo com o qual se identifica e que faz sentido para si.
Comecemos pelas cartas. Um baralho de Tarot costuma ter 78 cartas (22 Arcanos Maiores e 56 Arcanos Menores). Os Arcanos Maiores são:

0 - O Louco
1 - O Mago
2 - A Sacerdotisa
3 - A Imperatriz
4 - O Imperador
5 - O Papa
6 - Os Enamorados/Apaixonados
7 - O Carro
8 - A Força
9 - O Eremita
10 - A Roda da Fortuna
11 - A Justiça
12 - O Enforcado
13 - A Morte
14 - A Temperança
15 - O Diabo
16 - A Torre
17 - A Estrela
18 - A Lua
19 - O Sol
20 - O Julgamento
21 - O Mundo
Nota: Nos baralhos baseados no Baralho de Tarot Waite a Justiça e a Força são invertidas sendo que nos métodos mais antigos (associados à tradição de Thoth) a Justiça ocupa o lugar número 8 e a Força ocupa o lugar número 11. A diferença reside nas duas escolas de Tarot a qual irá ter um artigo dedicado e cujo link será colocado aqui) a baseada no Baralho de Thoth e a baseada no Baralho de Waite.

Os Arcanos menores são constituídos por 56 cartas divididas entre quatro naipes: Paus/Bastões, Espadas, Copas/Cálices e Ouros/Pentáculos, conforme mostra o quadro abaixo:
O nome de algumas cartas dos arcanos menores, tal como o nome dos naipes, poderá ser adaptado de baralho para baralho. Alguns baralhos utilizam nomes mais pagãos como Elders e Iniciates para algumas das cartas.
Um ponto importante a ter em consideração durante o estudo do Tarot é a diferença entre várias artes semelhantes ao Tarot mas que não são Tarot tal como os Oráculos, Baralhos dos Anjos e Lenormand. Abaixo uma breve definição de cada um destes métodos que, posteriormente, terá direito a um artigo próprio no nosso site:

  • Tarot: Um tarot tem a estrutura específica de 72 duas cartas divididas entre Arcanos Maiores e Arcanos Menores. É possível os nomes das cartas dos Arcanos Menores (e até maiores) serem mudados ao gosto do artista porém a estrutura mantém-se a mesma tal como os significados e mensagens.
  • Oráculos: Um baralho de oráculo é algo muito mais fluído e que pode depender do próprio artista. Existem baralhos de oráculos com 52 cartas, com 68 cartas, etc. Por norma os mesmos vêem acompanhados de livros e manuais que auxiliam o praticante a entender o significado de cada carta.
  • Baralhos de Anjos: Tal como os oráculos, os Baralhos de Anjos dependem do próprio criador (sendo que os mais famosos são os da Doreen Virtue) e o seu significado irá depender também do próprio artista, costumando vir acompanhados de um pequeno livro de instruções. É um método mais voltado para mensagens de apoio e de orientação e não tanto voltado para a vertente divinatória.
  • Lenormand: Este é um método em que os baralhos são constituídos por 36 cartas com imagens simples e com significados muito específicos (o oposto do Tarot, cujas cartas deixam um pouco à corrente de quem está a ler e são adaptáveis a cada situação). É um método específico e com aprendizagem diferente do Tarot normal.
Ao longo das próximas semanas iremos disponibilizar artigos referentes aos seguintes temas:

  • - O Baralho de Thoth vs O Baralho de Rider-Waite
  • - A História do Tarot
  • - Como Escolher um Baralho
  • - Métodos de Lançamento de Tarot
  • - Os Arcanos Maiores (incluindo um artigo para cada arcano maior)
  • - Os Arcanos Menores (incluido um artigo para cada naipe de arcano menor)

Estejam atentos e não percam esta série de artigos fascinantes!

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Roda do Ano - Samhain

Data Tradicional: 31 de Outubro (No Hemisfério Norte) e 1 de Maio (No Hemisfério Sul)

Data Astrológica: Sol a 15º de Escorpião (HN) ou Sol a 15º de Touro (HS)

Samhain (pronuncia-se “sou-en”) é também denominado de Halloween, Hallowmas, Véspera de Todos os Sagrados, Véspera de Todos os Santos, Festival dos Mortos e Terceiro Festival da Colheita. Samhain é considerado um dos mais importantes festivais Wiccanos, sendo também dos mais antigos, ao lado de Beltaine. Para além disto, Samhain é também o fim e o começo de um novo Ano Celta (os anos eram considerados cíclicos).

Samhain realiza-se quando o Sol está a 15º de Escorpião (no Hemisfério Norte) e a 15º de Touro (no Hemisfério Sul). Pode também ser celebrado na data tradicional que é 1 de Maio (Hemisfério Sul) e 31 de Outubro (no Hemisfério Norte).

Samhain é um dos Sabbats mais controversos que temos. Conhecido normalmente como “Dia das Bruxas”, os seus costumes foram adoptados pelos Cristãos e usados para a criação do “Dia de Todos os Santos”, em honra aos mortos.

A noite de 30 de Abril é uma noite de vigília e de contacto com o tempo sem tempo e com o “Outro Mundo”, no qual os mortos chegam ao contacto com os vivos. Partilham-se alimentos e bebidas com os nossos antepassados, em banquetes dedicados a eles. É uma noite límbica, em que o véu que separa os dois Mundos, se torna ténue. A Meia-Noite é a hora sagrada desta celebração, honrando ano, que passou e que volta a surgir de novo. Devido a esse motivo, esta era a hora especialmente utilizada para o contacto com as divindades do Submundo.

Divindades que se tornam presentes neste Sabbat são Hécate, a Senhora das Encruzilhadas, e Atégina-Proserpina, divindade de que falam as aras romanas hispânicas. A Deusa surge na sua faceta negra, como intermediária dos dois planos.

Também o caldeirão toma um papel importante nesta celebração, sendo encarado como o local que tudo nutre. Para além de ser o símbolo do ventre da Deusa, é também o contentor do alimento para o corpo e o espírito, para o físico e o não físico. É nesta noite que se vertem líquidos para o caldeirão, como a queimada galega (uma bebida alcoólica típica da Galiza, elaborada com aguardente queimada, açúcar, aos quais geralmente é adicionada também casca de limão ou laranja) e o fruto que representa o alimento dos mortos, numa perspectiva de renascimento: A Maçã.

Em Portugal, existia (e ainda se crê existir) uma antiga tradição que eu acho interessante. Na noite de 31 de Outubro, em que se velava os mortos, em que a sua protecção era chamada de novo para o lar, como bênçãos dos antepassados, as famílias depositavam à porta de casa, uma cesta de verga cheia de grãos de milho. Nestas cestas, enterravam também uma vela, que era acesa como guia para as almas. Para além dos grãos e da vela, era também colocada uma espiga, seca e poupada ao malho, que representava a crença na evolução do ciclo de vida. Ao lado da cesta era colocado um balde de barro ou metal cheio de vinho maduro, destinado ao brinde da noite, aquele de quem revê um amigo ou um familiar partido há muito. Estes alimentos e bebida só eram retirados no dia 2 de Novembro. Esta tradição pode ser adaptada para o Hemisfério Sul.

Uma figura bastante conhecida e presente neste festival é o João Laterna ou Jack O’Latern, a famosa abóbora escada e iluminada por uma vela que já se tornou tradição nesta altura. A abóbora é um fruto da época e é um símbolo dourado do Sol e que é, ainda hoje, neste dia convertida em sopa e doce para o Inverno, sendo depois retomada nas iguarias de Yule.

O Altar deve ser decorado com cores escuras e características da face Anciã da Deusa (pretos, vermelhos escuros, laranjas. O caldeirão é essencial num altar desta festividade. Alguns métodos divinatórios também, já que esta é uma noite propicia para eles. Fotografias dos Antepassados, abóboras, maçãs… tudo isso é bem-vindo num altar de Samhain!

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Bruxaria de Cozinha


Uma das partes favoritas da minha prática mágica é a Magia de Cozinha! Apesar de ainda estar apenas a começar neste caminho é sem dúvida das partes que mais adoro e que acredito que tem imenso potencial e, também, é acessível a todos os praticantes que a queiram experimentar! Afinal de contas, todos cozinhamos a certa altura certo?

Ora bem a Bruxaria de Cozinha ou Magia de Cozinha é algo fantástico e que pode ser utilizada de diversas maneiras. Basicamente uma Bruxa de Cozinha utiliza a cozinha como seu ponto fulcral de trabalho. Algumas coisas que podem ser feitas como Bruxa de Cozinha será, por exemplo, ter um altar na cozinha. Um pequeno altar, com coisas que podem ser facilmente movidas. Talvez uma estatua ou figura de uma divindade relacionada com o Lar (O Lar acaba por ser uma parte fulcral da Bruxaria de Cozinha), um caldeirão, uma vela. Ou até algo artesanal, feito pelo próprio praticante. Bruxaria de Cozinha é muito de "por mãos à obra", inovar, criar novas coisas com o pouco que há à disposição. É também uma forma de magia muito simples ou Baixa Magia como também é considerada, pois não requer rituais complexos mas sim pequenas magias eficazes. É uma prática excelente para ter em paralelo a uma prática mais complexa, para quem preferir. Ou, para quem gostar mais de coisas simples, para ser o único caminho a traçar.

Uma das principais mais-valias de uma Bruxa de Cozinha são ervas e plantas! Se tiver possibilidade pode até plantar as suas próprias plantas, cuidar delas e colher as suas ervas delas mesmo (respeitando os ciclos naturais das plantas e até beneficiando das correspondências astrológicas se preferir!) para usar nos seus pratos ou nos seus feitiços. Pode colocá-las em jarros ou penduradas a secar por cima da cozinha. Evite colocá-las em luz directa do Sol ou demasiado perto do forno ou fogão, para não secarem demasiado e perderem as suas propriedades. Vegetais também são excelentes! Não só porque são muito saudáveis para uma dieta equilibrada mas também porque são originários da própria Natureza, tornando-os bons aliados.

A cozinha de uma Bruxa de Cozinha funciona como um pequeno templo. Deverá ser organizado (à maneira do próprio praticante, o que interessa é que o praticante se organize. O que parece desorganizado para uns é a organização de outros!) e limpo. Deve ser um espaço respeitado e deverá garantir que as energias presentes no local são positivas e de acordo com o seu trabalho (evite discussões ou conflitos naquela zona da casa). Pode até investigar um pouco sobre Feng Shui ou outras técnicas de harmonização de espaços para auxiliar a manter um espaço equilibrado energeticamente.

A decoração, apesar de secundária, pode ser essencial. Decore o espaço como preferir. Se adorar frascos (como eu!) arranje vários para as suas ervas, sementes, alimentos, etc e coloque-os numa estante onde consiga ter acesso e, ao mesmo tempo, fiquem de acordo com o seu gosto. Pinte as paredes ou os móveis de cores cujas propriedades estejam alinhadas com o seu trabalho e objectivo e que, ao mesmo tempo, sejam cores que goste e nas quais se sinta confortável. Algumas recomendações, a nível de cor, são cores associadas à Terra como castanhos, laranjas, amarelos, verdes, etc. Pendure quadros, ervas, estátuas, velas, incensos, etc. Tudo o que gostar no seu espaço de trabalho e que ajude a realizar as suas tarefas (mágicas e não mágicas).

Outro ponto importante na prática de uma Bruxa de Cozinha é o livro de Receitas! Para além do seu Livro das Sombras, onde já aponta normalmente todas as informações referente à sua prática mágica, é sempre recomendável ter um livro à parte para as suas receitas (quer alimentar quer mágicas). Os seus testes com poções e ervas ou com comidas enfeitiçadas, as receitas de óleos, incensos, chás, sumos, etc. Organize as suas experiências marcando o que funcionou e o que falhou (e porque falhou, como melhorar, etc.). Manter um registo é essencial para qualquer Bruxo de forma a que possa não só assistir à sua evolução mas também para ter mais fácil acesso a rituais, feitiços ou qualquer coisa que tenha feito no passado.

Depois, o mais essencial de tudo, pratique. Utilize a Magia da Cozinha no seu dia-a-dia, experimente, teste, descubra! Utilize ervas e as suas propriedades mágicas nos seus pratos, quando misturar bebidas (chá, chocolate quente, sumo natural, etc.) ou até panelas de comida misture sempre na direcção que irá ajudar mais para o objectivo (p. ex: um chá para ajudar a banir uma doença poderá misturar contra os ponteiros do relógio mas uns bolinhos para trazer prosperidade e alegria já pode mexer no sentido dos ponteiros do relógio). Se estiver a cozinhar com óleo ou azeite pode desenhar sigilos. Pode desenhar sigilos nos condimentos das sandes que leva para o trabalho ou que os seus filhos levam para a escola. Quando cozinhar pão ou bolachas pode adicionar ervas que correspondam às suas necessidades mágicas. Pode utilizar o mel para auxiliar a melhorar relações pessoais com familiares ou amigos. Existem imensas formas de aplicar a Magia de Cozinha na sua prática e todas elas são deliciosas de por em prática (em ambos os sentidos!).

Apesar de ser uma forma de Magia muito prática e simples (e, por esse motivo, às vezes é olhada de lado) é uma forma de Magia totalmente válida. Aconselho todos os interessados a experimentar e testar algumas receitas. De vez em quando colocamos várias receitas aqui no blogue, basta clicar no tema de Receitas. Pode também pesquisar online, existem imensos websites (principalmente em inglês) dedicados à Bruxaria de Cozinha (Kitchen Witchcraft), acima de tudo, no Tumblr existem imensos blogues dedicados a este ramo da Bruxaria.
 
Inove, experimente, teste, descubra! Quem sabe até vai gostar? :)

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Autoconhecimento como Ferramenta do Bruxo


O Bruxo tem ao seu dispor várias ferramentas com as quais pode trabalhar e das quais pode tirar inúmeros benefícios mas, uma das ferramentas mais importantes para o seu trabalho, é o autoconhecimento. Um bom Bruxo deve-se conhecer a si mesmo acima de tudo, entender como ele próprio funciona, o bom e o mau. O trabalho com o que muitos chamam de "Sombra" é essencial, ou seja, o trabalho com o lado mais negro de nós próprios, com aquilo que nós recusamos acreditar ser parte de nós.

O autoconhecimento é o conhecimento de nós próprios, o que somos, o que queremos, o que gostamos, o que acreditamos ou não acreditamos, como funcionamos, como reagimos, etc. E abrange todas as áreas da nossa vida sendo que o autoconhecimento tem benefícios não só na prática da Bruxaria e da Magia mas também no nosso quotidiano. Ajuda-nos a lidar melhor com as situações e também a melhorar o nosso carácter. Se descobrimos que temos um traço muito egocêntrico e que não gostamos, o facto de admitirmos que este traço realmente existe, é já meio caminho andado para o eliminar ou para o "domar", deixando que ele esteja presente apenas nos momentos desejados.

Um Bruxo ou alguém que lide com Magia lida com o controlo das energias. Controla as energias direcionando-as para onde pretende e para a finalidade que é desejada. Mas, pensemos, como podemos nós controlar energias exteriores e não conhecermos as energias dentro de nós e não as soubermos controlar? Um Bruxo que trabalha em impulso não é um Bruxo sensato e poderá vir a arrepender-se de trabalhos feitos. Ou alguém que vive com medo de determinado aspecto poderá estar a impedir-se de estudar e trabalhar com ele apenas por medo não compreendido. Conhecer-nos a nós mesmos permite uma panóplia de soluções para problemas do dia-a-dia e, também, melhorar a nossa prática mágica.

Imaginemos o seguinte caso prático: Um Bruxo, durante os processos de autoconhecimento, começa a verificar que tem um lado bastante egoísta e possessivo. E, ao comparar com as suas relações pessoais anteriores e com as suas atitudes, verifica que esse lado acaba por prejudicar as amizades ou relações amorosas ou até as relações familiares. O facto de se aperceber que esse lado existe e de admitir que ele está lá vai permitir que ele possa tomar medidas preventivas e começar a iniciar o controlo dessa característica.

E, ter controlo de nós mesmos, é outra excelente ferramenta de um Bruxo. Claro que todos temos impulsos, de quando estamos zangados ou tristes, de fazer ritos ou feitiços para determinado propósito mas essa decisão não deve ser tomada de cabeça quente. É necessário ter controlo, pesar os prós e contras e, com todo o conhecimento das consequências e com o devido controlo da situação, tomar a acção desejada. Se formos tomar uma acção sem ter controlo da mesma nem dos nossos sentimentos e sensações apesar de ser poderoso (dada toda a energia crua que entra em jogo) é também perigoso. Perigoso por o que está a ser feito e pela forma como está a ser feito.

O autoconhecimento permite-nos chegar ao autocontrole. E permite também conhecer melhor quem somos e melhorarmos quem queremos ser. Mudar-nos a nós mesmos, através do conhecimento. E esse é também um dos objectivos da Bruxaria. Aliás um dos textos famosos na Internet relacionado com a Bruxaria Moderna é as 13 Metas de uma Bruxa (principalmente associada à prática Wiccana mas pode ser adoptada por outros que assim o desejem):

  1. Conhecer-se a si mesma/o
  2. Conhecer a sua Arte
  3. Aprender
  4. Aplicar o conhecimento com sabedoria
  5. Manter o equilíbrio
  6. Manter as suas palavras em ordem
  7. Manter os seus pensamentos em ordem
  8. Celebrar a vida
  9. Sintonizar-se com os ciclos da Terra
  10. Respirar e comer corretamente
  11. Exercitar o corpo
  12. Meditar
  13. Honrar a Deusa e o Deus
E, como podem verificar, a primeira meta indica exactamente isso: "Conhecer-se a si mesma/o". É um dos pilares do trabalho de um Bruxo.

Para iniciar o processo de autoconhecimento costumo recomendar algo muito simples. Arranje um papel e escreva tudo o que sabe sobre si. Quem é, onde mora, onde nasceu, data de nascimento, hora de nascimento, nome, gostos, preferências, coisas que não gosta, momentos que marcaram, memórias importantes, defeitos, qualidades, medos, etc. Tudo o que se consiga lembrar. E leia, interiorize. Medite na informação que recolheu. Agora pense nas coisas que faz. Atitudes que tenha feito recentemente, boas e más. Discussões que teve, conflitos, festas, momentos felizes, momentos tristes, etc. Pense nas atitudes que teve, como reagiu, o que pensou. Aponte tudo isso e medite. Veja se essas atitudes coincidem com o que escreveu antes e com a imagem que tem de si. O que mudou? O que é diferente? Medite sobre isso. Medite sobre quem é. Só isto já será metade do percurso.

Posteriormente poderá consultar online ou através de bibliografia mais sobre o trabalho do Auto-conhecimento ou até do trabalho com a Sombra, participar em workshops ou cursos e melhorar cada vez mais. O mundo está ao seu alcance, basta esticar a mão.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Copo Menstrual

Apesar de não ser um tema diretamente relacionado com o Paganismo ou a Bruxaria este é um tema voltado para o âmbito da Saúde e que, também, pode contribuir para a prática mágica de várias formas (ex: saúde é essencial para praticar Magia e também o uso do copo menstrual permite uma recolha mais fácil de sangue menstrual para a sua utilização em rituais e feitiços). Este artigo tem como objectivo dar a conhecer o Copo Menstrual a quem não o conhece e a mostrar como o mesmo funciona. 

O Copo Menstrual é feito de TPE (Elastómero Termoplástico) que é o mesmo material de que são feitas as tetinas dos biberões dos bebés e as chupetas. É um material hipoalergénico e amigo do ambiente. É também mais saudável pois não possui aditivos que normalmente se encontram nos tampões ou absorventes que acabam por causar irritações ou alergias ou, no pior dos cenários, a Síndrome do choque tóxico que é uma emergência médica rara causada por uma toxina bacteriana. Este factor permite também a que não perturbe a floral vaginal, mantendo o pH natural da vagina, o que é muito mais saudável. É extremamente saudável e adaptável, sendo que é inserido como se fosse um tampão e adapta-se ao corpo, criando vácuo o que o faz ficar no sítio e sem vazar. Este vácuo permite também ao sangue não oxidar, evitando assim a proliferação de bactérias e fungos causadoras de problemas de saúde. Esta não oxidação do sangue faz também com que o mesmo não tenha cheiro. Quando o copo é retirado, mesmo estando todo cheio, não tem qualquer cheiro.

Os primeiros copos menstruais surgiram na década de 1930 e atualmente são produzidos em vários países como Canadá, África do Sul, Estados Unidos, República Checa, China, Alemanha, Finlândia, França, Índia e Inglaterra (tudo com autorização e aprovação das agências de segurança alimentar e médica).

Para além das vantagens acima enumeradas o Copo Menstrual tem ainda a vantagem de ser duradouro, podendo durar anos e sendo sempre reutilizável! É necessário ferver o mesmo no ínicio do ciclo menstrual (durante aproximadamente 5 minutos) e ferver novamente no fim do ciclo, antes de o guardar. É recomendável ter apenas um recipiente próprio para ferver o copo (basta ser um fervedor normal, apenas é preciso garantir que não é utilizado em mais nada sem ser a esterilização do copo menstrual). O Copo Menstrual aguenta até 12 horas sem ser despejado (a menos que haja um fluxo muito elevado e ele fique totalmente cheio!) o que o torna bastante prático para o dia-a-dia atarefado que costumamos ter. Ele é muito adaptável ao corpo e nem se nota que está colocado, aliás, um dos cuidados importantes no uso do copo menstrual é garantir que não se esquece dele colocado!

A nível ecológico este Copo Menstrual tem um grande impacto, dado que basta comprar um Copo e o mesmo dura anos! Evitando assim a utilização abusiva de tampões ou absorventes que acabam por poluir o ambiente e demorar anos a decompor-se nas lixeiras. Sabia que são utilizados 13.699 absorventes POR SEGUNDO, nas zonas urbanas? Imagine a quantidade de lixo que não é produzida e que pode ser evitada com o uso do Copo Menstrual! É mais saudável para si e para o ambiente!



Para colocar o Copo Menstrual pode precisar de prática. É inserido da mesma forma que um tampão (imagem em cima). É necessário garantir que lavou bem as mãos e dobrar o copo (pode ver várias formas de como dobrar um copo menstrual AQUI e no YouTube também existem vários vídeos que ensinam vários métodos. Basta escolher qual se adapta melhor a si!) e inserir o mesmo na vagina. Deve garantir que ele criou vácuo (poderá sentir um pequeno "poc!" ou então apenas andar com o dedo em torno do topo do copo e garantir que selou. Depois é só aproveitar o resto do dia! :)

No que diz respeito ao campo da Magia e do quotidiano, o Copo Menstrual é pratico pois permite uma recolha mais fácil de sangue menstrual para usos mágicos e, mais importante, permite uma ligação mais directa com o seu ciclo menstrual e com o seu corpo. Entender quanto sangra, como sangra, quando sangra. Aproximar-nos do nosso ciclo permite uma melhor compreensão dos Mistérios Femininos e só traz vantagens|

Em termos de custo o mesmo pode variar dependendo da marca pretendida e tamanho. O preço normal rondará os 25/30 Euros em Portugal e os R$70/80 no Brasil, recorde-se que este é um valor por algo que irá durar anos, recupera o investimento logo nos primeiros meses! Recupera o investimento Em baixo a lista para Portugal e Brasil, tendo em conta as marcas mais comercializadas e o tamanho S/Pequeno.


Portugal:
Brasil:
O Copo Menstrual é só vantagens! E para ser mais prático, segue um pequeno quadro com os Prós e Contras do Copo Menstrual, para resumir:





***
Alexia Moon: Pessoalmente devo dizer que recomendo imenso o Copo Menstrual. Já o uso à alguns meses e é fantástico. Se usava tampões anteriormente a adaptação será muito rápida, coloca-se de forma idêntica e o truque é encontrar uma dobra que seja prática. Os primeiros meses serão os piores até ganhar "o jeito", pode ir várias vezes ao longo do dia à casa de banho para descobrir que estava mal posto e que escapou sangue ou assim, dai recomendar nos primeiros tempos andar sempre com um pequeno absorvente. Com o tempo, depois, deixará de ser necessário. Outra dica importante (que gostava que me tivessem dito) é se dormir com ele ao acordar vai notar que ele subiu e que se torna mais díficil retirar. Não entre em pânico! É totalmente natural, aguarde apenas um pouco, tome o pequeno-almoço e passado 30 minutos tente novamente. Ele já desceu e já facilta a retirada. É sem dúvida uma mais valia por todas as vantagens indicadas acima e também porque permite uma ligação mais próxima com a menstruação, entender como ela funciona, o quanto você sangra realmente (é muito menos do que pensamos!), etc. E, em termos mágicos, tem sempre a forma mais prática para recolher sangue menstrual. Sabia ainda que o sangue menstrual serve de fertilizador para plantas? Se tem plantas, mais um benefício do copo menstrual. É sem dúvida muito vantajoso e recomendo a todas as interessadas. Caso tenham dúvidas, não hesitem em perguntar!

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Receita - Witches' Brew / Preparado de Bruxa


Hoje trago-vos uma excelente receita para celebrar Samhain que se aproxima rapidamente! Esta é uma mistura deliciosa que pode ser feita nesta altura com frutos da época de Outono (e mesmo na Primavera, para quem está no Hemisfério Sul, não são difíceis de arranjar) e dá uma quantidade bem grande para puder ser partilhada. Esta receita é do canal da CharmingPixieFlora que apesar de agora já se encontrar abandonado contém ainda recursos muito interessantes e os quais recomendo vivamente, principalmente a nível de receitas e de ideias para celebrações.

Ingredientes:
  • 3,80 Litros de Cidra de Maçã
  • 1 Maçã
  • 1 Laranja
  • 3 Paus de Canela
  • 3 Fatias de Gengibre
  • 1 Punhado de pétalas de rosa (secas)
  • 1 colher de sopa de de especiaria (à escolha, mas recomendamos canela ou noz-moscada)
Preparação:
Encha uma panela grande com a cidra de maçã e adicione a maçã, laranja, paus de canela, o gengibre e as pétalas de rosa e coloque na temperatura máxima. Misture tudo muito bem e depois deixe em lume brando. Passado aproximadamente 5 minutos pode adicionar as especiarias. Pode também adicionar outro ingrediente que goste ou até substituir por um que não goste. Deixe em lume brando e após cerca de 25 minutos vai começar a notar que a maçã está a desfazer-se com a cozedura. 
É exactamente esse o objectivo, mexa de vez em quando e deixe estar em lume brando. Pretendemos que os ingredientes se desfaçam. Deixe passar uma hora desde que começou e nessa altura estará no ponto que queremos. Nem todas as frutas se irão desfazer (como a laranja) mas depois você pode coar a bebida ou, se gostar, beber mesmo assim. É normal também que reduza o tamanho, devido à evaporação. Agora pode tirar e coar e servir ou apenas tirar e servir, depende do gosto de cada um. 
Pode também utilizar esta receita como parte do seu ritual de Samhain ou numa festa ou apenas em casa enquanto está em frente da lareira a ler um bom livro ou a ver um filme ou série.


Para ver o vídeo inteiro da preparação desta receita lá no canal da CharmingPixieFlora basta clicar AQUI.
***
Notas Finais: Quanto às quantidades de ingredientes, aconselho a investigar o tipo de concentração do Produto, produtos mais concentrados necessitam de menor quantidades do que produtos menos concentrados.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Garrafas de Bruxa


As Garrafas de Bruxa ou Witches' Bottle são dos métodos mais famosos hoje em dia para protecções e banimentos. Mas o que é ao certo uma Garrafa de Bruxa? Uma Garrafa de Bruxa é, basicamente, um feitiço no qual se utiliza uma garrafa com determinados ingredientes e se enterra ou guarda durante um determinado período de tempo. Existem registos do uso deste tipo de feitiços à imensos anos e é extremamente eficaz quando bem realizado!

Por exemplo muitas Bruxas optam por fazer Garrafas de Bruxa em Samhain e renovar em Beltane ou então no Samhain a seguir, enterrando-as no jardim ou em vasos (recordando que se enterrar em vasos onde contenha plantas poderá prejudicar as mesmas). Há quem opte por fazer Garrafas de Bruxas que se "auto alimentam" da energia recolhida e, como tal, duram anos e anos! Existem várias receitas e várias formas de fazer uma Garrafa de Bruxa. O método tradicional envolve elementos com quem nem todos se sentem confortáveis em trabalhar como sangue, urina, unhas, cabelos, etc. Irei colocar duas versões neste artigo uma que utiliza esses ingredientes e outra que não utiliza. Recordo que poderá sempre pesquisar online por muitas mais receitas dado que é possível utilizar este método de feitiço de uma forma bastante bastante diversificada.

Neste artigo irei focar-me no meu tipo de Garrafa de Bruxa favorito que é para protecção. Iremos incluir três tipos:
  • O tipo que captura e armazena a energia negativa;
  • O tipo de espelha a energia negativa enviada e a retorna a quem enviou;
  • O tipo que transforma a energia negativa em energia positiva;
Para começar é necessário ter um recipiente, preferencialmente de vidro, que feche bem e dê para ser selado com cera de vela, o tamanho do recipiente será dependendo de onde pretende guardá-lo e quais os materiais que pretende ter dentro do mesmo. Se os ingredientes a serem utilizados no frasco forem perigosos (ex: pregos ferrugentos, agulhas, etc.) é também aconselhável o uso de luvas para evitar feridas e infecções (e é de aconselhar ter sempre pensos rápidos/band-aid por perto). Não esquecer também de cera ou vela para selar o frasco, preferencialmente de cor preta. Agora os ingredientes da própria garrafa em si variam dependendo de qual a versão que pretende usar.
Tradicional:
  • Fluídos corporais (urina, sangue, esperma, fluído vaginal, etc., dependendo da escolha do praticante);
  • Pregos ferrugentos e até dobrados, pedaços de arame farpado, espinhos, pedaços de vidro ou espelho, etc;
  • Cabelos ou unhas ou pêlos das pessoas/animais que irão ser protegidas;
  • Ovos;
Moderna:
  • Vinho, Sidra de Maçã ou Água Salgada Abençoada em substituição dos fluídos corporais;
  • Pregos (podem ser novos) ou agulhas, pedaços de espelho ou vidro e fio ou corda;
  • Símbolos das pessoas que irão ser protegidas (nomes em papel, símbolos que representem, representações, etc.);
  • Ovos;
  • Ervas associadas ao que se pretende, cristais com as propriedades desejadas, sal, etc.; 
A diferença entre ambos os tipos é devido ao facto de que muitos praticantes não se sentem confortáveis em utilizar fluídos corporais e cabelos ou unhas das pessoas que irão ser afectadas pela garrafa. Desse modo, disponibilizamos ambas as possibilidades, deixando ao encargo do praticante qual prefere utilizar. 

Preparação: Recolha todos os ingredientes necessários (no caso de fluídos corporais estes devem ser os últimos a serem recolhidos dado que não devem ser guardados mais do que um dia). Escolha uma data ideal para a realização da garrafa (poderá ser um Sabbat ou um dia dependendo das correspondências astrológicas ou das Fases da Lua) e uma hora ou altura do dia para efectuar o ritual. A Lua Minguante é considerada uma altura propícia para este tipo de trabalho. Os fluídos corporais ou representações pessoais têm como objectivo representar as pessoas a serem protegidas e garantir que, no caso de garrafas de protecção, tudo o que seja feito em direcção às pessoas será redireccionado para o símbolo ou essência delas que se encontra na própria garrafa, passando então por tudo o que colocamos dentro que tem o seu significado. Os pregos e pedaços de arame e esse tipo de material que colocamos dentro da garrafa têm como propósito o "agarrar" as energias negativas (o metal captura, o vidro confunde e corta, os espinhos perfuram e o ferro (e ovo) dissolve-as). Pode ainda visualizar as energias negativas a "afogarem-se" na urina. Caso esteja a criar-se um tipo de garrafa cujo o objectivo é espelhar a energia negativa basta, durante a construção, visualizar o vidro e os espelhos a espelharem e enviarem de volta as energias para quem enviou ou para a terra. Para uma garrafa cujo o objectivo é transformar as energias poderá visualizar a energia negativa a ser transformada em positiva através dos ingredientes e a beneficiar a própria casa ou as pessoas envolvidas. O mesmo se aplica às garrafas mais modernas e sem estes objectos, deverá ser efectuada a visualização correspondente para cada ingredientes dependendo da sua característica e propósito (o sal para purificar e abençoar o alvo da garrafa, os pregos ou agulhas servem para aterrar as energias negativas e também podem visualizar como enviando-as de volta para o remetente através da Lei Triplíce ou Karma, a corda servirá para enrolar as energias negativas e prendê-las nos nós feitos. O vinho/vinagre, como substituído da urina, pode ser visualizado da mesma forma a "afogar" as energias negativas).

A garrafa pode ser feita no mesmo local onde vai ser escondida ou enterrada ou pode ser feita noutro sítio e, posteriormente, levada para o referido local. Pense no local com antecedência e garanta que é um sítio em que não se vai esquecer dela e ninguém (nem animais) a poderão encontrar. Se achar necessário, ao criar a garrafa, pode lançar um círculo. Não é obrigatório, irá depender de cada praticante.

Para fazer a garrafa comece por colocar os ingredientes, dependendo do tipo de garrafa: 

Tradicional: Adicione os ingredientes escolhidos deixando para último o ovo (não o coza e coloque-o cru) e, posteriormente, o sangue/urina/fluídos corporais. Faça as devidas visualizações para o propósito para o qual está a construir a garrafa enquanto a faz. No fim sele a garrafa com o cera e garanta que o selo não se parte. Se partir, retire e comece de novo. No fim pode adornar a garrafa com símbolos ou sigilos à sua escolha. No fim leve a sua garrafa até onde pretende escondê-la (se tiver aberto um círculo, feche-o) e esconda-a. Se for longe de casa, esconda-a virada para baixo e pode até fazer banimentos na zona para impedir que a encontrem. Se for em casa, com a tampa para cima. Recorde-se onde a colocou para, no futuro, a ir buscar e puder descartar a mesma. 

Moderna: Inicie o seu ritual como costuma e pode fazer a garrafa dentro do mesmo. Se preferir pode fazer fora de ritual. Comece por colocar o sal e, depois, os pregos e agulhas. Logo de seguida pode adicionar as ervas, os cristais, a corda com nós. Depois poderá adicionar líquidos como o vinho ou vinagre. Quando a garrafa estiver pronta pode cantar um cântico para criar poder e direccioná-lo para a garrafa que depois será selada com a cera da vela. Aplica-se a mesma regra que a tradicional, garanta que o selo de cera não parte e, se partir, retire e comece de novo. Termine o ritual da maneira habitual e deixe a garrafa no local, podendo queimar incenso para selar o feitiço.

No final a duração da garrafa irá depender do que foi definido na construção da mesma. Quando a está a fazer terá de definir como pretende que ela funcione. Se pretende que dure um ano, seis meses ou indeterminado. Deverá também, em caso de tempo prolongado, definir como a mesma se irá alimentar energeticamente (recomendando ser a partir das próprias energias que ela recolhe). Isto irá depender da prática de cada um.

Por fim existem imensas receitas e formas de fazer Garrafas de Bruxas, algumas mais tradicionais e outras mais modernas. Recomendo uma boa pesquisa na Internet para encontrar mais receitas variadas e encontrar a que se adequa a sim e qual prefere. Recorde-se de adquirir todos os materiais com antecedência e ter tudo planeado para garantir que corre tudo perfeito!