Bem-Vindos. Sentem-se em volta da fogueira, peguem uma xícara de chá e comecemos a aprender os mistérios antigos e a desvendar segredos esquecidos.
Trilhem connosco a floresta sobre o olhar atento da Lua...

Novos artigos serão sempre publicados à segunda-feira e à sexta-feira.




segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Pagan Federation International


A Pagan Federation International ou a Federação Pagã Internacional é uma organização dividida por diversos países/continentes que serve para juntar os pagãos.


A Federação Pagã tem 30 Coordenadores regionais na Grã-Bretanha e Coordenadores Nacionais em 26 países diferentes. Esta organização é responsável por eventos, possui revistas e e-zines que são distribuídas aos membros e permite aos membros ter acesso a rituais em grupo, palestras, workshops e muitos outros eventos nos respectivos países. A PFI existe desde o ano de 1971 e tem vindo a publicar diversos jornais (ex: The Pagan Dawn e The Wiccan) desde 1969, sendo que é uma das mais antigas organizações europeias relacionadas com o Paganismo. Tem como objectivo unir pagãos de forma a que possa existir uma troca de opiniões e ideias e uma melhor união das comunidades pagãs.

A Federação Pagã não representa somente um caminho do Paganismo, tenta representar todos os caminhos existentes, estando aberta a qualquer pessoa maior de idade. De forma a unificar a PFI, porém, existem três pilares que devem ser comuns a todos os membros da organização, sendo estes:
  1. Amor para e afinidade com a Natureza. Reverência para com a força vital e seus ciclos de vida e morte em eterna renovação.
  2. Uma moralidade positiva, segundo a qual o indivíduo é responsável pela descoberta e evolução de sua verdadeira natureza, em harmonia com o mundo externo e a comunidade. Isso é muitas vezes expresso como: "Faz o que tu queres, contanto que não prejudiques ninguém".
  3. Reconhecimento do Divino, o qual transcende género, com aceitação tanto o aspecto feminino quanto o aspecto masculino da Divindade.
Para quem não se quer afiliar existe ainda o Fórum da Pagan Federation International que aceita novos membros, incluindo membros que não fazem parte da Federação.

***

PFI - Associação Cultural Pagã (Portugal)

Para pertencer à PFI-Portugal é necessário concordar com os três pilares acima indicados, considerar-se pagão/pagã e ser maior de idade. A quota anual para ser membro da PFI é de 15€. Verifiquem os benefícios de serem membros da PFI em Portugal no site oficial da organização.

Conforme indica no site da Associação Cultural Pagã: "Os Pagãos que tenham interesse em fazer parte da PFI-Portugal, deverão escrever um email para pfipt@sapo.pt, sobre as suas experiências e interesses no Paganismo, podendo comentar sobre como descobriu a sua condição de pagão, livros lidos, e que vertente do Paganismo mais lhe interessa ou pratica. Saliente-se que Pagãos pouco experientes ou já praticantes serão recebidos da mesma forma. Após a recepção do seu email, e caso seja aceite, poderá fazer uma entrevista na PFI-Portugal, em Lisboa, onde procederá à inscrição e pagamento da anuidade." No caso de não viver perto ou em Lisboa, poderá depois verificar junto da Associação formas de concluir a sua inscrição.

Podem encontrar a PFI-Portugal nas redes sociais em Facebook e no seu site oficial em PFI - Portugal.
***
Referente ao Brasil e Países da América do Sul não existe, de momento, nenhuma filial da Federação Pagã, conforme é possível confirmar no site oficial da Pagan Federation International. Aconselhamos a consulta frequente no site oficial da PFI para confirmar o surgimento de uma associação sul-americana.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

O que é a Wicca?


A Wicca surgiu como religião na década de 1950, após a última lei que proibia e castigava a prática de Bruxaria na Inglaterra ser abolida. Este surgimento da Wicca deveu-se a Gerald Gardner. A Wicca, ao contrário da ideia popular, não é a reconstrução de uma Antiga Religião Pagã Celta do Neolítico ou de outro período pré-histórico. Ela foi criada (ou moldada, como alguns argumentam) por Gerald Gardner, com base nos seus estudos ao longo dos anos e em diversos outros campos (como em materiais de Aleister Crowley). A Wicca é uma religião bastante recente na sua organização e não é uma imitação ou reconstrução dos caminhos celtas ou pagãos de antigamente. Este facto não é motivo para considerar a Wicca menos religião do que outro caminho. Não são as origens de um caminho que o fazem mau ou bom. Cada um deve seguir o que é correcto para si, não se deixe influenciar pela História.

A Wicca começou com apenas uma tradição, a Gardneriana. Esta seguia os ensinamentos de Gardner. Com o passar do tempo novas tradições foram surgindo, dando mais diversidade à Wicca.

Várias tradições surgiram até aos dias de hoje. Actualmente a Wicca divide-se em “Wicca Tradicional” (constituída, principalmente – mas não só – pelas tradições Gardneriana e Alexandrina) e a “Wicca Moderna” (constituída pelas tradições mais recentes e pelo conjunto de praticantes solitários/ecléticos) Como tal, devido à multiplicidade de tradições, torna-se complicado dar uma definição de Wicca que seja 100% correcta, portanto irei esforçar-me para dar apenas as bases da Wicca que são base de todas as tradições.

A Wicca é uma religião neo-pagã e, para além de religião, é uma filosofia positiva de vida, que baseia-se no respeito da Natureza e a reverência pelas suas diversas formas.

A Wicca é também uma religião iniciática e sacerdotal, ou seja é uma religião que necessita iniciação e todo o iniciado é Sacerdote ou Sacerdotisa. Neste aspecto da Wicca existem diversos debates. Gardnerianos defendem que apenas aquele que é iniciado num coven de linhagem tradicional é realmente Wiccano. Mas com o surgimento de novas tradições, várias pessoas (Raymond Buckland, por exemplo) vieram mudar a opinião do Mundo quanto a este aspecto.

Como é possível reparar, ao ler este parágrafo, qualquer praticante solitário pensa “Então eu, que não tenho qualquer acesso a um coven, não posso ser Wiccano?”.

Os Tradicionalistas dirão “Sim, não podes ser Wiccano” mas muitos Modernos irão dizer “Não, podes sempre dedicar-te aos Deuses.”. Qual das respostas é a correcta? Depende de qual o prisma em que se encontra inserido, se na Wicca Moderna ou Tradicional. Os Wiccanos pretendem viver em harmonia com a Natureza e o seu redor e mesmo os seus rituais procuram precisamente, sintonizar o indivíduo com o Universo e com os ciclos da Natureza. A Wicca não reconhece nenhuma autoridade exterior, um Deus ou Deusa que trate as pessoas como crianças mal-educadas castigando-as quando estas se portam mal. Na Wicca não há Pecado, Céu ou Inferno. Após a morte, a maioria dos Wiccanos, acredita que vai para Summerland, onde lá irá esperar até a sua próxima reencarnação.

A Wicca, ao contrário da ideia corrente, tem princípios e leis a seguir. A ideia de que apenas existe a lei “Sem Mal a Ninguém Faz o Que Quiseres” como sendo única, é errada. Existem diversos princípios e dogmas que estabelecem a Wicca. A Wicca não tem uma única forma de culto, embora tenha princípios idênticos, cada praticante reinventa o culto à sua maneira, tendo autonomia sobre a sua prática. Porém, como se torna óbvio, não se pode pensar que a Wicca é uma religião que “faz o que queres dela”. Pode-se observar, entre as diversas tradições, características em comum entre elas, que faz com que estas sejam Wiccanas e são essas características que fazem com que algo entre na categoria de Wicca. Portanto, não, a Wicca não é aquilo que o praticante quer que seja, ela tem princípios e regras.

A maioria dos Wiccanos vê os Deuses como sendo energias. Uma Feminina (A Deusa) e uma Masculina (O Deus). Tanto o Deus como a Deusa possuem fases (as da Deusa expressam-se ao longo do Ciclo Lunar e as do Deus ao longo da Roda do Ano) e faces (variando estas de panteão para panteão).

Ou seja, as denominações Donzela, Mãe e Anciã são fases da Deusa, que Esta atravessa ao longo de um ciclo Lunar. Os nomes de Hécate (Panteão Grego), Ísis (Panteão Egípcio), Cerridwen (Panteão Celta) são faces da Deusa. As faces da Deusa podem ser vistas como as faces de um Diamante. Cada uma é individual mas, todas juntas, formam uma Energia Feminina principal a qual denominamos “A Deusa”. A mesma situação ocorre com o Deus.Não existe nenhuma autoridade (ex: Igreja Católica) que controle e dite o que os Wiccanos devem ou não fazer. Não há profeta nem livro sagrado que dite as regras da religião. Há porém textos que estabelecem algumas características da Wicca (“Rede Wiccana”, “Carga da Deusa”, “A Descida da Deusa ao Submundo”, “A Carga do Deus”, entre outros).

Os Wiccanos não pretendem afirmar que a sua religião é o “único caminho”, pois todas as religiões são válidas, desde que trabalhem para a evolução pessoal dos seguidores de tal religião. O Calendário de celebrações Wiccano inclui 13 celebrações de Lua Cheia (Esbats) e 8 Sabbats (4 Maiores (Imbolc, Beltane, Lughnassad e Samhain) e 4 Menores (Solstícios e Equinócios)).

Em 1974, O Conselho dos Bruxos Americanos adoptou um grupo de Princípios da Crença Wiccana.
  1. Praticamos ritos que nos sintonizam com os ritmos naturais das forças vitais sinalizados pelas fases da Lua e pelas mudanças e ápices das estações.
  2. Reconhecemos que nossa inteligência nos traz uma responsabilidade única em relação a nosso ambiente. Buscamos viver em harmonia com a Natureza, em equilíbrio ecológico, oferecendo um compromisso com a vida e a consciência dentro de um conceito evolutivo.
  3. Reconhecemos uma profundidade de poder muito maior do que é aparente para as pessoas comuns. Porque é bem maior que o ordinário, ela é algumas vezes chamada de “sobrenatural”, mas a vemos como parte potencial natural a todos.
  4. Compreendemos que o Poder Criativo do Universo manifesta-se pela polaridade – como masculino e feminino – e que este mesmo Poder Criativo vive em todas as pessoas, e funciona mediante a interacção entre o masculino e o feminino. Não valorizamos um acima do outro, sabendo que um é o suporte do outro. Valorizamos o sexo como prazer, como um símbolo e corporificação da vida, e uma das fontes de energia usada na prática mágica e culto religioso.
  5. Reconhecemos mundos exteriores e interiores, ou psicológicos, mundos algumas vezes conhecidos como o Mundo Espiritual, O Inconsciente Colectivo, Planos Interiores, etc. – e vemos na interacção dessas duas dimensões as bases para fenómenos paranormais e exercícios mágicos. Não negligenciamos nenhuma dimensão em função da outra, vendo ambas como necessárias a nossa plenitude.
  6. Não reconhecemos nenhuma hierarquia autoritária, mas honramos os que ensinam, respeitamos os que partilham seu maior conhecimento e sabedoria, e reconhecemos os que corajosamente dão de si mesmos em liderança.
  7. Vemos religião, magia e sabedoria de vida como unidas na forma pela qual uma pessoa vê o mundo e nele vive – uma visão do mundo e filosofia de vida que identificamos como Bruxaria – O Caminho Wiccano.
  8. Chamar a si mesmo de Bruxo ou Bruxa não faz de ninguém um Bruxo ou Bruxa – nem o faz a hereditariedade pura e simples, nem o coleccionador de títulos, graus ou iniciações. Uma Bruxa busca controlar as forças dentro de si mesma que tornam a vida possível de forma que se viva sabiamente e sem prejudicar os outros e em harmonia com a Natureza.
  9. Acreditamos na afirmação e plenitude da vida em uma continuação da evolução e desenvolvimento da consciência, dando significado ao Universo que conhecemos e a nosso papel dentro dele.
  10. Nossa única animosidade em relação ao Cristianismo, ou em relação a qualquer outra religião ou filosofia de vida, é quando suas instituições proclamam ser “o único caminho” e buscam negar a liberdade de outros e suprimir outros caminhos de crença e prática religiosa.
  11. Como Bruxos Americanos, não somos ameaçados por debates sobre a história da Arte, as origens dos vários termos, a legitimidade de vários aspectos de diferentes tradições. Nos preocupamos com nosso presente e futuro.
  12. Não aceitamos o conceito de mal absoluto, nem adoramos a entidade conhecida como “Satanás” ou “O Demónio”, como definido pelo Cristianismo. Não buscamos poder pelo sofrimento de outros, nem aceitamos que o benefício pessoal possa vir apenas por negá-lo a outra pessoa.
  13. Acreditamos que devemos buscar dentro da Natureza o que trará contribuição a nossa saúde e bem-estar.
A Wicca é hoje em dia uma das religiões em maior crescimento dentro do Neo-Paganismo existindo centenas e centenas de caminhos wiccanos dentro da Wicca Moderna. Como o próprio Scott Cunnigham, autor Wiccano, afirmava "Pergunta a 10 Wiccanos o que eles consideram a Wicca e obterás 11 respostas diferentes", não tome este texto como verdade absoluta mas veja-o como o começo de algo e parta em rumo da descoberta do que é a Wicca, recomendamos a leitura do nosso artigo "Recursos para Iniciantes - Wicca" para ajudar a orientar o início do percurso.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Roda do Ano - Mabon

Data Tradicional: 21 de Setembro (No Hemisfério Sul) e 21 de Março (No Hemisfério Norte)

Data Astrológica: Sol a 15º de Libra (HS) ou Sol a 15º de Aries (HN)

Mabon (pronuncia-se “mêibon”), também denominado de Sabbat de Outono, Equinócio de Outono, Festa do Milho-Rei e Alban Elfed, é o Segundo Festival das Colheitas. Tem lugar quando o Sol está a 0º de Libra (no Hemisfério Norte) e 0º de Áries (no Hemisfério Sul), ou seja, ocorre por volta de 21/22/23 de Setembro (no HN) e Março (HS).

Os Equinócios são pontos de equilíbrio, onde a Luz e a Escuridão estão iguais. A partir desta data, o período escuro do ano começa e a escuridão vence uma vez mais. Relembro que escuridão não significa algo mau, é somente uma referência à falta da intensidade do Sol e o começo e vitória do Inverno. As noites tornar-se-ão mais longas e os dias mais curtos, até que o Deus nasça, em Yule.

O equinócio é sentido como sendo o fim da alegria do ano e, as cores das folhas douradas, agora começam a desvanecer e a cair com mais intensidade, deixando as árvores nuas e preparadas para o rígido Inverno que se aproxima.

Nesta altura colhem-se as frutas e as uvas maduras e iniciam-se as chamadas desfolhadas do milho com os seus, subtis, mas presentes, comportamentos cerimoniais à volta do “Milho-Rei”.

O Milho-Rei (ou o Phallus de Fogo) é a espiga de milho de cor vermelha, que é muito rara. Dizem as tradições ibéricas dos camponeses que quem encontrar essa espiga tem de beijar todos os membros do sexo oposto.

A Lua no céu é dourada, em analogia às folhas douradas que caem das árvores e os grãos de milho que vão ser moídos ao som dos cânticos do povo. As desfolhadas são rituais já antigos na cultura popular, quando chega esta altura do ano. Esta prática reúne as várias pessoas das aldeias e localidades num ritual nocturno, recheado de músicas e festas. 
Uma das figuras desta prática é o Serandeiro, um encarapuçado de negro que aparece no meio da festa, armado com uma lanterna, pedindo beijos às raparigas mais belas e aparecendo de súbito, gemendo como um fantasma, para assustá-las.

Alguns dos alimentos típicos deste festival são os produtos que contenham milho e/ou trigo, pães, nozes, frutos secos, maçãs, raízes (cenouras, cebolas, batatas, etc.), romãs, tomates, etc. Quanto às bebidas é comum a Sidra e o Vinho.

O Altar é caracterizado pela presença de cores outonais (vermelhos, laranjas, castanhos, etc.), presentes na natureza. Também pode ser adornados com espigas de milho, cornucópias, folhas secas, maçãs, etc.

Mabon, tal como Lughnassadh, também é considerado um dia de Acção de Graças Pagão. Muitos praticantes dizem ser em Lughnassadh, outros dizem ser em Mabon. Historicamente, Mabon é mais correcto, mas é como preferir.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Os Vários Nomes da Lua


A Lua sempre foi importante para o Homem. Desde a Antiguidade que lhe prestam reverência e admitimos a influência que ela tem nas nossas vidas, seja no ciclo menstrual da mulher, nas colheitas, nas ondas do mar, etc. A Lua é o satélite natural da Terra e influencia a própria vida no planeta azul. 

Hoje vamos abordar os vários nomes que são tradicionalmente dados às várias Luas Cheias do Ano pelas culturas indígenas norte-americanas e que são mais conhecidas e usadas por muitos praticantes da Bruxaria. Se conhecer outros nomes, partilhe connosco na secção dos comentários! 

Janeiro - Lua do Lobo: É também conhecida como a Lua Após Yule, Velha Lua ou Lua de Neve. Esta Lua foi assim apelidada dado ser a altura em que os lobos mais uivavam no ano, principalmente à Lua. 

Fevereiro - Lua de Neve: Esta Lua foi assim apelidada em dedicação aos grandes nevões que se faziam sentir neste mês e que marcavam as paisagens. Era também chamada, nas tribos da América do Norte, por "Lua Cheia da Fome" dado que seria perto desta altura que a comida guardada no Inverno se começaria a esgotar.

Março - Lua da Minhoca: Esta é a última Lua Cheia do período do Inverno, antes do começo da Primavera no Equinócio de Março (no Hemisfério Norte). Era também apelidada de Lua Escassa ou Lua do Corvo devido aos corvos que apareciam no final do Inverno. Também podia ser chamada de Lua da Seiva dado que a colheita de xarope de Ácer era iniciada nesta altura. O nome Lua da Minhoca vem do facto de que, com o crescimento das plantas no começo da Primavera, as minhocas voltam a surgir. 

Abril - Lua Cor-de-Rosa: Esta Lua é assim apelidada devido às flores rosas que florescem. Pode também ser chamada de Lua Pascoal (dado que era utilizada para calcular o dia da Páscoa), Lua da Erva, Lua do Ovo ou Lua do Peixe, tudo com conotações associadas á fertilidade. 

Maio - Lua das Flores: Esta Lua Cheia é assim chamada devido às flores do pico da Primavera. Também pode ser chamada de Lua de Leite ou Lua de Plantar Milho. 

Junho - Lua de Morango: Esta Lua, como o nome demonstra, é assim denominada devido à abundância de morangos. 

Julho - Lua do Macho: Este nome pode soar estranho em português mas em inglês é "Buck Moon" devido aos chifres que começam a nascer nos veados durante esta altura do ano. Também pode ser chamada de Lua do Trovão ou Lua do Feno. 

Agosto - Lua do Esturjão: Este é um nome tipicamente norte-americano e esta Lua é assim apelidada devido ao facto de esta ser a primeira altura de pesca do esturjão nos lagos da América do Norte. Outros nomes para esta Lua são, por exemplo, Lua do Milho Verde ou Lua dos Grãos. 

Setembro - Lua da Colheita: Como o próprio nome indica esta é a Lua em que os agricultores começam o processo de colheita dos seus frutos e plantações. 

Outubro - Lua do Caçador ou Lua de Sangue: Esta Lua assinala o momento em que, tradicionalmente, as tribos se preparavam para o Inverno. Isto incluía matar gado, caçar e preservar as carnes.  

Novembro - Lua do Castor: É nesta altura que os castores começam a preparar-se para o Inverno rigoroso que se aproxima, apelidando então a Lua do mês de Novembro. 

Dezembro - Lua Fria: Este é o começo verdadeiro do Inverno no Hemisfério Norte e, como tal, esta Lua é apelidada em honra do frio que se sente durante este período escuro.  

A Lua é, e sempre foi, uma parte essencial da vida do Homem e, para nós pagãos e Bruxos, pode também ser uma ferramenta fantástica nos nossos trabalhos e trilhos, desde que a saibamos ouvir e aprender com Ela.  

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Recursos para Iniciantes (Wicca)


Todos sabemos que o começo é a parte mais difícil da jornada, principalmente num assunto tão sério e delicado como o caminho religioso ou espiritual. Este artigo tem como objectivo ajudar e orientar aqueles que começaram a estudar e conhecer agora a Wicca, focando-se principalmente no auxílio com a Wicca Moderna. Para começar, recomendo vivamente a leitura do artigo Conceitos: Paganismo, Bruxaria e Wicca para entender as diferentes entre estes três ramos e também ter uma definição base do que é a Wicca.

Uma das "regras" para quem começa a estudar um novo caminho religioso sozinho, principalmente dentro do Paganismo, é ler, ler, ler e ler. Ler de tudo um pouco, ver todos os pontos vistas (bons e maus) para compreender o seu próprio caminho. Conhecimento da sua Arte e, também, auto-conhecimento são duas ferramentas essenciais para percorrer este caminho. Como ferramenta importante de leitura que é, irei começar por dar algumas sugestões literárias relacionadas com a Wicca Moderna: 
  • "Guia Essencial da Bruxa Solitária" de Scott Cunnigham
  • "Práticas de Wicca" de Scott Cunnigham
  • "O Livro Completo de Bruxaria do Buckland" de Raymond Buckland
  • "Oito Sábás para Bruxas" de Janet e Stewart Farrar
  • "A Bíblia das Bruxas" de Janet e Stewart Farrar
  • "Bruxaria Hoje" de Gerald Gardner
  • "O Significado da Bruxaria" de Gerald Gardner
  • "A Verdade Sobre a Bruxaria Moderna" de Scott Cunnigham
  • "O Poder da Bruxa" de Laurie Cabot
  • "Rebirth of Witchcraft" de Doreen Valiente
  • "Witchcraft for Tomorrow" de Doreen Valiente
  • "A Dança Cósmica das Feiticeiras" de Starhawk
Para obter estes livros pode procurar na Wook, BookDepository, Amazon, entre outros. Alguns (como os de Doreen Valiente) poderão só estar disponíveis em inglês E, claro, veja sempre a bibliografia e livros recomendados no final de cada um destes livros para encontrar ainda mais obras que irão ajudar no seu caminho! 

Outro método fantástico de aprendizagem é reunindo-se com outros praticantes (pessoalmente ou virtualmente) e trocar experiências, aprendizagens, conhecimentos. Pode até juntar-se a algum grupo local ou coven que irão ensiná-lo e guiá-lo no caminho. Uma forma prática de encontrar Bruxos e Bruxas perto de si é através de um site chamado Witches' Voice que reúne Bruxos e Bruxas dos vários caminhos da Bruxaria e Paganismo do Mundo inteiro! Basta fazer um registo simples e ficará associado à homepage do seu país ou estado e, automaticamente, pode procurar nele ou noutras áreas e países por pessoas com os mesmos interesses e conhecer mais Wiccanos ou Bruxos. Em alternativa pode também visitar o site da Pagan Federation International e juntar-se ao fórum (maioritariamente em inglês mas também com áreas para línguas específicas, incluindo o portugueses) e, através deste site, pode encontrar uma filial da PFI no seu país (em Portugal esta pode ser encontrada na PFI Portugal - Associação Cultural Pagã). 

Pode também procurar no Youtube por canais que ensinem técnicas e teoria de Wicca e Paganismo no geral para aprender mais e de uma forma mais leve. Alguns canais interessantes são o da CharmingPixieFlora (que apesar de já se encontrar desactivado ainda contém todos os vídeos antigos e muito educativos), o da Tradição Caminhos das Sombras que conta com vídeos fantásticos, em português, e até realiza vários hangouts no qual pode participar para aprender mais. Tem também o canal Pagan Perspective que é em inglês mas aborda vários tópicos e todos eles abordados por vários pagãos, de vários caminhos dentro do próprio Paganismo o que proporciona uma visão completamente diferente para quem está a iniciar. 

No começo tudo pode parecer complicado e assustador mas o tempo, a aprendizagem e a prática farão tudo parecer mais claro. O caminho da Wicca, tal como o caminho de qualquer outra vertente pagã ou da Bruxaria, são complicados e requerem muita força de vontade, estudo e dedicação. Nada virá até si de mão-beijada e tudo irá depender da sua força de vontade e determinação. Caminhe de cabeça erguida, pronto para os desafios e para o fantástico trilho que se coloca à sua frente. 

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Mercúrio Retrógrado


Muitos já conhecem o conceito de Mercúrio Retrógrado mas, para quem não conhece ou quem pretende saber mais sobre, vamos investigar. Mercúrio Retrógrado é um dos fenómenos astrológicos mais conhecidos a nível mundial. Não só devido a ser famoso na Internet mas também por ser aquele fenómeno que mais afecta a população em geral. Vamos conferir as datas deste evento nos próximos três anos: 



Mas o que significa o Mercúrio Retrógrado? E o planeta fica mesmo a andar para trás? Não, nada disso. Trata-se de uma ilusão e apenas nos parece que ele está a andar de forma revertida. Esta ilusão dura aproximadamente três semanas e meia e acontece cerca de duas ou três vezes por ano, dependendo. Isto porque a órbita de Mercúrio em torno do Sol é menor do que a da Terra, dado que o planeta se encontra mais próximo da nossa estrela.  

Mercúrio é o planeta que rege toda a comunicação (falar, ouvir, escrever, etc.) e também a aprendizagem, negociações, vender/comprar, pesquisas, edições, etc. Rege também os contratos formais e acordos tal como tudo quanto seja documentação importante. Podemos ainda atribuir a Mercúrio a regência em todos os tipos de códigos (incluindo computador!) e transportes e viagens. 
Então em que afecta o Mercúrio Retrógrado? Digamos que é como se Mercúrio tivesse tirado umas férias e adormecesse, deixando à sua própria mercê todos os campos que ele rege. Isto pode gerar um pouco de confusão e é sempre aconselhada cautela! Dependendo de cada signo que está em vigor na altura do Retrógrado as áreas afectadas podem variar, aconselho (em inglês) o site DarkAstrology onde podem verificar detalhes pormenorizados de cada Mercúrio Retrógrado especificamente, para saber o que fazer ou não fazer. 

Em geral aconselha-se que durante este período se evite grandes viagens ou celebração de grandes acordos ou contratos (arrendamentos, negócios, etc.). É de evitar começar negócios, websites, projectos e semelhantes durante esta altura, dado que será difícil obter a estabilidade para tal. Contratar novas pessoas para empregos é também complicado nesta altura, dado que a comunicação poderá ser mais complicada e, após Mercúrio Retrógrado, poderão haver surpresas desagradáveis. Toda a cautela e cuidado, durante este período, é essencial! Claro que se for algo impossível de adiar deve ser feito e não vamos parar a vida apenas porque Mercúrio está em Retrógrado. Se possível evitar, óptimo. Caso contrário garanta apenas que foram tomadas todas as precauções possíveis: veja os pneus duas vezes, confira o óleo, confira o pneu suplente, garanta que o check-up do carro ou meio de transporte foi feito, leia e re-leia documentos, planeie cuidadosamente a sua viagem mas conte sempre com um plano B ou C em caso de não correr como inicialmente pensou, marque bem a sua bagagem para garantir que não a perde, leve entretenimento caso hajam atrasos dos aviões no aeroporto, etc. 
Outro ponto sensível durante este período é todo o tipo de comunicações, inclusive familiares! Poderá haver espaço para maiores discussões, coisas que não são bem compreendidas e desacordos. Tente evitar falar de tópicos sensíveis pois há muito espaço para discussões durante Mercúrio Retrógrado e, acima de tudo, pense muito bem antes de falar seja o que for!  

Também as novas tecnologias são afectadas por este momento retrógrado, principalmente os computadores que são fontes de comunicação. É aconselhável ser feito um backup antes de Mercúrio Retrógrado ou pelo menos garantir que está tudo correcto e que não haverão surpresas desagradáveis. Evite trabalhar com códigos e fazer grandes alterações a nível informático, a menos que seja expressamente obrigatório. Se possível evite também grandes compras (carros, jóias, casas, etc.). É sempre melhor esperar que este período passe pois tudo se torna mais claro e evita surpresas desagradáveis no futuro!  

Esta é também uma altura propensa a perder coisas por isso, se possível, coloque etiquetas ou garanta que caso alguém encontre o que você perdeu (óculos, chaves, telemóvel, computador, etc) que conseguem encontrá-lo para devolver! 

Mas existem excepções à regra! Mercúrio Retrógrado tem como regra normal "Não tomar grandes decisões durante este período" mas há alturas em que tomar estas decisões não trará problema nenhum, principalmente se forem coisas relacionadas com o passado (viajar para casa de infância, voltar a trabalhar com um patrão antigo, selar negócio com um cliente habitual, etc.) podem ser feitas em Mercúrio Retrógrado, normalmente.

Mas este período não é tão linear como aquela tabela nos mostra. Aquela tabela mostra-nos o "pico" de cada período retrógrado mas duas semanas temos o chamado "Período Sombra" ou "Shadow Period" em que apesar de Mercúrio ainda não estar em Retrógrado a sua energia já se sente e, como tal, são alturas para ainda ter cuidado nas nossas acções. O mesmo acontece duas semanas após terminar a data assinada na tabela em cima. Deixar sempre passar algum tempo após o dia de terminar é aconselhável. 

O passado tem também tendência a voltar durante esta altura. Podem ser amigos com quem não falava à bastante tempo, ex-namorados, ex-patrão, etc. É também uma excelente altura para pensar e organizar os nossos pensamentos e preparar para tomar acções quando este período terminar. Outras coisas aconselháveis durante este período são organizar armários e quartos, dar roupa para doação, reparar coisas antigas em casa, redecorar, etc. 

Por fim... Não considere que Mercúrio Retrógrado só lhe trará coisas más! É apenas um período de maior introspecção e de ter calma e cuidado nas decisões, evitando algumas coisas e dando destaque a outras. Aproveite ao máximo este período para se renovar a sí mesmo/a.