Bem-Vindos. Sentem-se em volta da fogueira, peguem uma xícara de chá e comecemos a aprender os mistérios antigos e a desvendar segredos esquecidos. Trilhem connosco a floresta sobre o olhar atento da Lua...

Novos artigos serão sempre publicados à quinta-feira.



segunda-feira, 30 de maio de 2016

A Magia no Quotidiano


Um dos aspectos mágicos da vida de um Bruxo é a forma como o mesmo consegue incluir magia em tudo o que faz. Na sua casa, no seu carro, no trabalho, nas viagens, no quotidiano. Até a simples tarefa de cozinhar o pequeno-almoço pode ser uma experiência mágica para um Bruxo! A Magia, ao contrário do que se pensa, está em todo o lado e em nosso redor e podemos utilizá-la não só para melhorar o nosso estilo de vida como também para nos unirmos mais ao nosso lado mágico e ao culto das divindades ou entidades com que trabalhamos. 

Neste artigo pretendo abordar a forma como a Magia pode ser incluída no nosso quotidiano em pequenas coisas que, apesar de simples, têm um grande impacto na sua vivência.

Algumas dicas que poderá aplicar no seu dia-a-dia: 
  • Quando estiver a cozinhar desenhe sigilos com o azeite ou óleo de forma a que a sua comida fique com as energias desejadas (saúde, harmonia, prosperidade, etc.). 
  • Quando estiver a beber chá ou café, ao mexer o açúcar, faça-o sempre na direcção dos ponteiros do relógio. Estará a atrair energias positivas!
  • Quando mudar de uma casa para outra nunca leve a sua vassoura antiga (a de varrer o chão, não o instrumento mágico). Esta é uma dica bem antiga porque considera-se que ao levar a vassoura antiga para a nova casa estará também a levar as energias negativas consigo.
  • Caso tenha cabelo comprido e o hábito de fazer tranças, aproveite para que as mesmas sejam formas de protecção. Entrançar o cabelo é uma prática antiga de proteger alguém, pois os nós das tranças afastam e prendem as energias negativas.
  • Quem usa maquilhagem poderá optar por usar a mesma de forma mágica. Ao aplicar batom visualize que este irá ajudar a expressar-se melhor ou então escolha uma cor de unhas relacionada com objectivos que planeie cumprir ou área da vida que queira melhorar!
  • Quando sair do banho e estiver a colocar loção de corpo ou creme desenhe na sua pele sigilos ou símbolos mágicos para atrair energias desejadas, principalmente protecções.
  • Na sua casa tenha sempre as devidas protecções: Crie uma Garrafa de Bruxa (Witches' Bottle), tenha sal nos cantos da casa, mantenha a sua casa limpa e organizada para atrair boas energias, abra as janelas frequentemente e visualize as energias negativas a saírem, construa escudos protectores em volta da casa, etc.
  • Não seja paranóico/a. Seja saudável, faça exercício, seja feliz. Pode soar estranho mas se você for feliz, seguro de si mesmo, saudável, tenha uma atitude positiva quanto à vida e ao funcionamento das coisas a probabilidade de algo mal lhe atingir (ainda mais tendo em conta que existiram protecções em sua casa e em você) será muito baixa. Não dê chances que a sua mente o torne fraco e susceptível a ideias negativas ou más energias.
  • Ande com um dente de alho ou a pedra ônix consigo. Estas coisas absorvem as energias negativas e impedem que as mesmas o atinjam.
  • Nunca deixe acabar o sal! É um ditado antigo que quando o sal acaba em casa é porque vem má sorte. Para isso compre um saco de sal e guarde numa estante e nunca o utilize. Assim nunca ficará sem sal.
  • Tenha um diário de sonhos. Um pequeno caderno que, assim que acordar, aponte os sonhos que teve na noite anterior e analise-os. O seu subconsciente poderá ter muitas coisas a dizer que podem ajudar a tomar decisões ou ver certos aspectos da sua vida de forma diferente.
  •  Quando se levantar da cama de manhã e depois de ter arrumado tudo, coloque uma vassoura pequena debaixo da sua almofada ou dentro da cama. Isto vai evitar que energias negativas permaneçam na cama e, assim, à noite terá um sono mais descansado.
  • Tome banhos relaxantes frequentes (se tiver banheira). Utilize incensos ou óleos aromáticos, velas e cristais. Pode até comprar uma Bomba de Banho da Lush que não são testadas em animais e são super relaxantes! Caso não tenha essa possibilidade ferva algumas ervas em água e, no final do seu duche ou no inicio, deite as mesmas sobre o seu corpo.
  • Caso tenha plantas em casa, na base do vaso, desenhe sigilos de crescimento ou de saúde para ajudar as plantas a crescer melhor.  
  • Se possível tenha em consideração para onde aponta a cabeça da sua cama. Para Norte é símbolo de estabilidade, calma, prosperidade e recuperação rápida de doenças. Para Este está associado à religião e à espiritualidade tal como à inteligência e liberdade de pensamento. É também o lado de onde o Sol nasce e há o pensamento de que deveremos dormir de Este para Oeste, seguindo o curso natural. Se a sua cabeça ficar a apontar para Sul poderá sofrer de insónias ou ter doenças mais facilmente. Não é recomendável. Por fim, dormir com a cabeça virada para Oeste promove o amor, espiritualidade e aumenta a sensibilidade e promove as habilidades psíquicas ou magia dos sonhos.
  • Evite ter os cantos da casa vazios. É um costume antigo dizer-se que nos cantos da casa ficam presas todas as energias positivas adormecidas (é, inclusive, um dos pensamentos do Feng Shui). Para evitar isso coloque cadeiras, móveis ou até plantas nos cantos da casa para permitir um melhor fluxo energético.
  • Coloque sigilos debaixo do seu tapete para atrair energias positivas e bênçãos para todos os que o pisarem.
  • Coloque uma vassoura virada ao contrário na parte de trás da sua porta de entrada e afastará todos aqueles que lhe querem mal.
  • Durante as limpezas de Primavera ou Outono, lave as suas janelas com vinagre ou amoníaco. Não só ficam limpas como também está a convidar as energias do Ar para abençoarem a sua casa.
  • Pregue três pregos na sua porta de casa, no lado exterior, a formar um triângulo. Poderá ser discreto mas é também uma forma eficaz de afastar o negativo. 

Estes são apenas alguns exemplos do que considero prático de aplicar no quotidiano de alguém, principalmente quem vive nas grandes cidades. Para mais dicas aconselho o livro "The Magical Household: Spells & Rituais for the Home" que aborda exactamente a forma como a Magia pode ser aplicada para a nossa casa e vivência.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Dias Planetares e Horas Astrológicas – O Que Significam?

A Astrologia tem influenciado as mentes pensadoras da História, tendo tido um grande papel nas civilizações antigas e ainda ser estudada hoje em dia. A Astrologia está também presente em muitas práticas pagãs e mágicas, daí ter decidido colocar estas informações aqui. Agora, vou explicar o que cada uma delas são e desenvolver mais, para entenderem melhor.
  • Dias Planetares
Cada dia da semana é associado a um Planeta que o rege. Com isto quero dizer que o dia toma características desse planeta (tornando-se propício para determinadas situações). Inclusive, podemos ver esse facto nos nomes. Domingo, em inglês, é Sunday (Sun Day = Dia do Sol) e é regido pelo Sol. Segunda-Feira, em inglês, é Monday (Moon Day = Dia da Lua). Segue uma lista de cada um dos dias da semana e para que são propícios, com base no seu planeta regente.
Domingo: Dia do Sol, propício para nos proporcionar alegria de viver, força espiritual e muita energia física e mental. O domingo é o dia ideal para meditarmos e fazermos pedidos ligados a prosperidade e vida financeira.
Segunda-feira: Dia da Lua. É um dia ligado ao universo feminino. Este dia é importante para despertar nossa percepção das coisas, aumentarmos nossa intuição, e fazermos pedidos relacionados a causas de união em família e pedir sabedoria para resolução de problemas aparentemente insolúveis.
Terça-feira: Dia de Marte, dia que aguça nossa vontade vencer. Ligado à cor vermelha. Pode ser eventualmente um dia conturbado, por ser ligado a Marte, planeta que simboliza as guerras. Dia propicio para mentalizar a vitoria em algum empreendimento.
Quarta-feira: Mercúrio rege este dia, sendo propicio para elaborarmos nossas metas , dia bom para concentração . Dia ideal para mentalizar mudanças de rumo em sua vida, e segurança nas decisões a serem tomadas. Ligado a cor branca.
Quinta-feira: Dia de Júpiter, ideal para para início de empreendimentos, novos projectos, mudança de casa, ou iniciar num novo emprego.
Sexta-feira: Dia regido por Vénus, é o dia do amor, do companheirismo, da afinidade, da cumplicidade e da paixão. Ideal para despertar o nosso amor próprio, ideal para se usar roupas rosas.Dia propicio para o romance, e fazer pedidos de amor.
Sábado: Dia regido por Saturno, dia propício para conseguirmos paciência e concretização de projectos lentos, demorados e que estão estagnados já há muito tempo.
  • Horas Astrológicas
Também as horas ao longo do dia são regidas pelos Planetas do nosso Sistema Solar. Estas regências, tal como ocorre com os dias da semana, influenciam e dão características à hora em questão. É com base nas horas astrológicas que se atribuem os dias planetários. A primeira hora do dia é associada a um planeta e esse planeta é o regente do dia.
A regência das horas segue uma sequência fixa: Saturno, Júpiter, Marte, Sol, Vénus, Mercúrio e Lua. Esta sequência é denominada a Ordem Descendente ou Ordem Caldeia e têm a sua origem na sequência das esferas planetárias, segundo conceito aristotélico do Universo.
A sequência prossegue de forma ininterrupta originando os vários dias da semana. Podemos representar a sequência total de horas planetárias através de uma espiral que se repete todas as semanas. Em baixo é possível ver uma figura que mostra isso.
Segue em baixo o significado de cada hora astrológica.

Saturno: Reflexão profunda, estruturação de ideias e execução de tarefas que requerem paciência e disciplina. Pode ser depressiva.
Júpiter: Adequada para qualquer tipo de tarefa. Ideal para a expansão de horizontes e para inspiração. É necessário ter cuidado com exageros.
Marte: Acção, conquistas, inícios. Tarefas assertivas e competitivas. É necessário ter cuidado com lutas e desentendimentos.
Sol: Actividades energéticas ou relacionadas com liderança. Há que ter cuidado com o orgulho.
Vénus: Harmonia, beleza. Ideal para o prazer, para os contactos sociais e relacionamentos. Cuidado com os pequenos excessos.
Mercúrio: Comunicação, envio de documentos e assinaturas, renovação de documentos. É uma boa hora para actividades de estudo, ensino em aprendizagem em geral. Cuidado com as indiscrições, a má-língua e as mentiras.
Lua: Ideal para tarefas mundanas (limpezas, compras, higiene). Uma boa hora para rever sentimentos e emoções. Cuidado com a sensibilidade, pois as coisas tendem a estar mais instáveis em horas lunares.

domingo, 22 de maio de 2016

Crítica Literária: "Magical Household" de Scott Cunnigham

Título: Magical Household: Spells & Rituals for the Home
Autor(es): Scott Cunnigham e David Harrington
Pontuação
Descrição: Reconheça e celebre a magia da vida com ritos intemporais e feitiços. Crie uma casa mágica, um refúgio de harmonia, segurança, espiritualidade, segurança e romance. Os benefícios incluem uma existência mais feliz, protecção contra ladrões, melhoria da saúde, um sono reparador, satisfazendo experiências espirituais entre outros mas sempre criando um ambiente perfeito para a magia positiva e uma vivência única.
Crítica: Terminei de ler este livro à pouco tempo e devo dizer que simplesmente adorei. É um livro simples que pode ser utilizado por quem já estuda Magia à muito tempo ou até por quem acabou de começar. Todos os rituais e feitiços descritos no livro são muito simples e baseados na Magia Natural e Magia Simpática, sendo que podem ser adaptados quer à vida mais rural ou à vida mais urbana. Passando pelos vários espaços de uma casa desde a lareira, a cozinha, a casa de banho, a sala de estar, o quarto, a garagem e o jardim (entre outros aspectos da nossa vida quotidiana, como a beleza e a adivinhação!) estes dois autores fornecem-nos imensos pequenos ritos e ideias que podem ser utilizadas de forma discreta e prática para tornar toda a nossa rotina e vivência uma autêntica experiência mágica! Muito do que é sugerido neste livro é baseado em antigas crenças europeias e asiáticas, em antigos costumes como o utilizar a cebola para absorver energias negativas, deitar sal por trás do ombro para cortar os males, acender velas durante Imbolc e até em que fases da Lua cortar o cabelo ou colher as ervas. É sem dúvida um guia prático e útil para todo o Bruxo que pretenda tornar toda a sua rotina algo mágico e incluir rituais, amuletos e outros em tudo o que faz.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Bolo de Bruxa

Este é um bolo que eu adoro e sempre que tenho oportunidade de o fazer, faço-o! Gosto especialmente de o fazer pela altura de Samhain porque é a minha celebração favorita.

Ingredientes:
  • 1 Xícara de mel
  • 1 Xícara de açúcar
  • 1 Xícara de manteiga
  • 5 Ovos
  • 2 Xícaras de farinha de trigo
  • 3 colheres de sopa de iogurte (sabor à escolha)
  • Casca de limão ralado
  • 1 colher de fermento
  • 2 Maçãs cortadas em rodelas no sentido horizontal com casca (opcional)
Como Fazer:
Bater bem o mel, açúcar e manteiga. Acrescentar os ovos e continuar a bater. Colocar a farinha e os restantes ingredientes, menos as maçãs.
Untar uma forma com manteiga e polvilhar com açúcar e canela, colocando as rodelas de maçã no fundo. De seguida, deite a massa do bolo em cima. Assar num forno já aquecido.
***
Notas Finais: Quanto às quantidades de ingredientes, aconselho a investigar o tipo de concentração do Produto, produtos mais concentrados necessitam de menor quantidades do que produtos menos concentrados.

domingo, 15 de maio de 2016

Eclipses Solares


Para começar, vamos dar uma definição de eclipse solar:
É um raríssimo fenómeno de alinhamentos que ocorre quando a Lua se interpõe entre a Terra e o Sol, ocultando completamente a sua luz numa estreita faixa terrestre.
- Wikipédia

Tal como já foi referido no artigo sobre o Eclipse Lunar, existem diversas teorias relativamente aos eclipses. Uma delas, é que o eclipse representa a união entre as duas divindades (A Deusa e o Deus), pois trata-se do alinhamento entre a Lua o Sol (e a Terra).

Outra ideia que também é defendida, como já foi falado, é a ideia de renascimento. Nascimento, Crescimento e Morte (tal como ocorre ao longo da Roda do Ano) mas desta vez relativamente ao Sol e ao Deus.

Mas a principal ideia que vamos abordar é a do "micro-roda-do-ano". Que conceito é este? É um conceito similar ao apresentado no artigo do Eclipse Lunar. No Eclipse Solar vemos o Sol diminuir a sua luz, ficar sem luz (completamente tapado pela Lua) e depois, uma vez mais, a sua luz regressa. Estas fases do eclipse são semelhantes às fases pelas quais o Sol passa ao longo de uma Roda do Ano.

Como tal, as energias presentes num eclipse solar são as de uma Roda do Ano, mas numa questão de horas. Podem portanto concluir que o Eclipse Solar é um momento bastante energético.

Devido a essa energia é que muitas são as pessoas que são afectadas por este acontecimento. Mudanças súbitas de humores, mudanças súbitas na nossa vida, mudanças de energias, etc. Este é o momento ideal para qualquer trabalho que necessite de acção rápida e de bastante energia. Mas, claro, é necessário ter bastante cuidado porque tal como é forte e rápido também é difícil de desfazer e perigoso de mexer. É necessário ter os conhecimentos adequados e absolutas certezas antes da realização dos ritos.

Assim sendo, o Eclipse Solar é a altura ideal para novos começos e para banimentos (isto também é ajudado com o facto de que o Eclipse Solar ocorre sempre em Lua Nova que, por si só, é já um óptimo momento para estes rituais).

Fica uma pequena dica para quando surgir o próximo eclipse. Sente-se lá fora ou à varanda ou mesmo em casa e sinta as energias. Sinta as energias do Eclipse e pense no alinhamento Terra-Lua-Sol, o que este significa, etc. Acredito que será uma experiência agradável.

Eclipses Lunares


Existem diversas opiniões quanto ao Eclipse Lunar e o que este pode significar. Muitas pessoas acreditam que num Eclipse Lunar (e também no Solar) ocorre um encontro da Deusa e do Deus e a sua união.

Outras pessoas acreditam que é uma fase que simboliza o nascimento, morte e renascimento. Uma passagem da Luz para a Escuridão e para a Luz de novo. Sendo assim uma altura de começo/fim/recomeço é uma boa altura para fazer banimentos e para renovar-nos a nós mesmos.
Outra ideia, quanto ao Eclipse Lunar, é que este converge em si as energias de um ciclo lunar. O ciclo lunar é constituído por várias fases da Lua, como todos sabemos, a Lua Minguante, Lua Negra, Lua Nova, Lua Crescente e Lua Cheia (e há mais, mas estas são as principais e mais comuns nas práticas mágicas). Durante um eclipse, a Lua (no momento encontra-se cheia) começa a ser tapada e ao longo do processo em que esta fica completamente tapada até voltar a ver-se a sua figura cheia, a Lua fica igual às formas em que fica ao longo de um ciclo lunar. Como tal, muitos praticantes defendem que ao longo do Eclipse Lunar, é como se as energias representassem um pequeno ciclo lunar, onde todas as energias de um ciclo convergem e se concentram naquele momento.

Sendo um momento de tanta carga energética, é algo a ter cuidado. Um eclipse aumenta tanto as energias como a responsabilidade de quem faz algo nessa noite.

Logo o que é aconselhável é, nos primeiros eclipses, simplesmente sentar-se debaixo da luz da Lua e sentir as energias. Começar a familiarizar-se com as energias deste período lunar para que quando decida fazer algum rito ou trabalho nesta altura especial, saiba com o que está a trabalhar, como deve agir e a responsabilidade que tem em mãos.

Seguindo esta linha de pensamento (do micro-ciclo lunar durante o Eclipse) podemos considerar que quase todos os trabalhos podem ser feitos nesta noite (banimentos, novos começos, trabalho com as capacidades intuitivas, etc.). A principal influência energética será a da Lua Cheia mas também estarão presentes as energias das restantes fases lunares.

Um ultimo detalhe será focar na investigação do evento a nível astrológico e astronómicos de forma a saber a influência dele e ter melhor conhecimento sobre o que está a acontecer naquele momento.

O que é a Astrologia?


A Astrologia é uma das ciências mais antigas estudadas pelo Homem. Foi praticada na Suméria, a mais antiga civilização do mundo, em 4300 a.C. e talvez tenha tido a sua origem na Pré-História, dado que existem provas do estudo do céu nocturno pelos povos da Idade da Pedra.

É considerada a mãe da Astronomia e, em tempos, foram uma só ciência. Porém com o tempo, a astronomia tornou-se mais objectiva, lidando com distâncias, massas, pesos, velocidades e afins e a astrologia mais subjectiva, tendo sendo assim, divididas. Podemos portanto, com isto, concluir que o levantamento de um horóscopo/mapa astral é um processo astronómico mas, a interpretação deste é um processo astrológico.

A Astrologia é, mais especificamente, a ciência que investiga a acção dos corpos celestes sobre os objectos animados e inanimados, e a reacção destes a essa influência.
Como já referi, a astrologia também tem um processo astronómico durante o levantamento de um mapa astral. A astrologia lida com os ângulos entre os planetas e a observação de seus efeitos sobre a humanidade.

Os signos são uma forma de dividir os céus; as Casas também, embora sejam baseadas no local de nascimento. O signo pode ser considerado o campo de acção; a Casa é o lugar onde ocorre a acção, e o planeta é o poder ou força motivadora.

A astrologia nos ensina que existe harmonia e simetria no universo, e que todos são parte de um todo. A astrologia deve ser entendida como uma filosofia que ajuda a explicar a vida, e não como uma arte ou ciência para prever o futuro.

Originalmente, a astrologia era dividida em quatro partes:
Natural ou física: A acção dos planetas sobre as marés, o clima, a atmosfera e as estações.
Mundana ou judicial: A Astrologia das nações, de sua economia e de seus ciclos políticos.
Natal ou genética: A Astrologia dos indivíduos e o estudo de seus mapas de nascimento.
Horária: O estudo de uma determinada questão que ocorre num determinado lugar e num determinado momento.

Há dois tipos de astrologia praticados no Ocidente.
Uma é chamada astrologia tropical; a outra, astrologia sideral.

A astrologia tropical dá a posição de um planeta por signo. A astrologia sideral dá a posição por constelação. Para entender a diferença entre as duas, é preciso entender a diferença entre signos e constelações:

Ambos têm os mesmos nomes, o que pode causar uma confusão. Há aproximadamente quatro mil anos, quando no equinócio de Primavera (no HN), o Sol estava na constelação de Áries, não havia diferença. Os signos e as constelações coincidiam. Agora, por causa da precessão, a lenta rotação da Terra sobre seu eixo, o Sol entra no equinócio Vernal no signo de Áries, porém na constelação de Peixes.

A astrologia sideral e a astrologia tropical se baseiam em princípios diferentes, e as duas são válidas.
As pessoas normalmente pensam que a Astrologia é apenas ver o seu signo solar (o signo em que o Sol estava no momento do seu nascimento) e que assim podem prever o seu futuro e saber o que as espera (por exemplo, nas revistinhas e jornais todas têm secção de Astrologia). Também crêem que o horóscopo é somente o nome dado aquele pedacinho de revista com a descrição do seu signo Solar e nada mais.

Na realidade um horóscopo é um mapa das posições planetárias no momento do nascimento de um indivíduo na posição geográfica onde ocorreu o nascimento. Um horóscopo contém tanto as posições zodiacais como as das casas dos planetas. Estabelecido o horóscopo (que é um processo que qualquer pessoa com bases simples de Matemática consegue aprender), vem a parte complicada que é a interpretação dos dados que obtivemos.

Este horóscopo quando feito correctamente e com as informações precisas, cria uma análise que é (quase) única para o individuo em questão. Foi por este motivo que foi tomada a sério por muitos investigadores com altas credenciais, como Jung que fazia o horóscopo de todos os seus pacientes, acreditando que permitia-o conhecer melhor a pessoa.

Mas, apesar disso, a Astrologia é ainda uma ciência que é extremamente ridicularizada no meio social da nossa actualidade.

Para quem está interessado em aprender Astrologia pode baixar os seguintes três ficheiros que vão ajudar a dar umas bases. Porém, se quiser seguir este caminho como forma de carreira, terá de tirar um curso num local especializado.

Banho de Limpeza


Eu mesma criei esta mistura e gosto bastante. Usa ervas simples e fáceis de obter em qualquer lugar! Antes de deixar a receita, vou dar um breve resumo de cada planta, para entender o uso de cada uma delas.
Alecrim 
Atributos: Protecção, Amor, Exorcismo, Purificação, Cura, Sono.
Louro 
Atributos: Purificação, Saúde, Prosperidade e Protecção.
Arruda 
Atributos: Eliminação de energias nocivas e atracção de Protecção.

***

Você pode usar só uma, duas ou as três ervas se quiser. É muito simples. Eu normalmente faço assim, se quiser pode optar pela banheira ou outro método que achar adequado.
Ferva em água as ervas. Quando vir que a água está fervendo, desligue e, com muito cuidado para não se queimar, filtre a água para retirar as ervas e ficar somente com a água (para não ficar com as ervas agarradas ao corpo). Deixe a água esfriar um pouco, para não queimar, e quando achar adequado, jorre no corpo, tentando cobrir o corpo todo. Em alternativa misture o preparo com a água do seu banho (numa banheira) e relaxe!

Contra-Indicações:
  • O Alecrim é contra indicado para mulheres grávidas e portadores de epilepsia.
  • A Arruda é terminantemente contra-indicada para gestantes, lactantes, para hemorragias e cólicas menstruais. Pode ocasionar efeitos colaterais perigosos como hemorragias, contracção da musculatura do útero e hemorragias. A arruda, se ingerida pela mãe que amamenta, fica no leite. Pode causar cólicas, vómitos, contracção das pupilas e convulsões nos bebés.

Xaropes


Os xaropes consistem em misturas concentradas de açúcares, tendo por base o sumo ou a polpa do vegetal ou planta escolhida. Tem como vantagem o sabor doce que disfarça o sabor desagradável da planta.

Sempre que possível, prepare-se os xaropes com mel. E na falta de mel, use, de preferência, o açúcar mascavado. Para a preparação da mistura, deve utilizar-se um lume baixo ou brando para dissolver os açúcares.

A maioria dos xaropes é feita para combater problemas do sistema respiratório, principalmente tosses diversas. Outros são ricos em nutrientes essenciais para a remineralização e para o fortalecimento dos tecidos ósseos e cartilagens. Os xaropes preparados com frutas têm propriedades tonificantes e vitamínicas.

Muitos xaropes preparam-se usando 50% de cada, isto é, ao peso da fruta acrescenta-se igual peso de mel ou açúcar mascavado.

Geralmente quem é diabético deve abster-se de tomar xaropes devido à grande quantidade de açúcares utilizados na sua preparação.

Aromaterapia

A Aromaterapia é o tratamento feito pelos aromas e funciona através da inalação de óleos essenciais aromáticos concentrados, extraídos de plantas. Esta é uma das melhores formas e uma das mais agradáveis de desfrutar dos benefícios dos óleos essenciais.
O tratamento com óleos essenciais faz-se durante uma a três semanas. Os métodos de utilização podem ser os seguintes:
  • Difusão Atmosférica
Para espalhar o aroma no ar existem difusores que aquecem os óleos. Existem difusores eléctricos que podem ser utilizados que produzem uma vaporização do óleo essencial contido no seu interior. Uns simples 10-15 minutos de funcionamento permitem encher o ar de uma determinada divisão.
O difusor de cerâmica simples tem um pires em cima, no qual se deitam umas gotas de óleo e água, e por baixo do pires coloca-se uma lamparina (ou vela) que faz libertar os vapores do óleo. Estes óleos, porém, não devem ser ingeridos pois a grande maioria é tóxica.
Não havendo difusor, pode-se obter um efeito quase semelhante por evaporação: basta colocar umas gotas sobre as costas da mão ou impregnar um lenço com o óleo e aspirar o aroma.
  • Fricção sobre a Pele
Friccionando a pele com umas 20 a 30 gotas de essência, estas infiltram-se nos tecidos e passam ao sangue. Tem duplo benefício uma vez que a massagem que acompanha a fricção também é benéfica. Contudo, evite o contacto com as mucosas dos olhos, da boca e dos órgãos genitais. No tratamento de pessoas com pele sensível, a essência deve ser diluída em partes iguais com azeite ou óleo de gérmen de trigo. Não havendo este, pode diluir com óleo de amêndoas amargas.
  • Banho com Essências
Pode-se juntar à água do banho qualquer destes óleos essenciais, na proporção de 3 a 10 gotas por banheira.
***

Óleos Essenciais – São vendidos em Farmácias e Ervanárias e correspondem a misturas complexas extraídas por destilação, por arraste do vapor de água ou por pressão, extracção a frio, como no caso dos citrinos. Existem diversos óleos essenciais. Alguns são administrados em gotas bebíveis, como os óleos digestivos; outros vêm em supositórios e são óleos anti-sépticos; há também óleos cicatrizantes e anti-sépticos reunidos em pomadas ou em gel.
Podem ainda ser adicionadas à água a ferver para serem inalados ou diluídos na água do banho. Os óleos essenciais devem ser receitados pelo médico ou pelo farmacêutico que os vende e escolhe o modo de administração em função das suas propriedades medicinais. É de ter em conta que os óleos essenciais contêm propriedades irritantes e que quando ingeridos podem apresentar efeitos tóxicos.
Se o óleo não for receitado por um profissional qualificado utilize-o apenas externamente. O maior conselho que lhe posso dar é nunca ingerir óleos essenciais, excepto se for sob a supervisão de um médico que o tenha receitado.

Não confundir óleo essencial (o que é falado neste artigo) com óleo aromático (que é comprado em lojas comuns). O óleo aromático é diferente e não deve ser utilizado da mesma forma!

Os Chás


A tisana ou chá consiste no cozimento de plantas medicinais. Existem três métodos, que são explorados já em seguida, de preparar chás: Infusão, Decocção e Maceração. Todos estes métodos têm em comum a utilização de água.

Infusão - Consiste em verter água a ferver sobre a planta e tapar o recipiente para que não se percam as essências e deixar em repouso durante 10 minutos. É a técnica ideal para utilizar as partes mais delicadas da planta (folhas, flores e caules tenros).
Modo de Preparação da Infusão: Coloque as partes da planta a utilizar num recipiente que resista a temperaturas elevadas e súbitas. Verta a água a ferver sobre a planta, na porção adequada e, de seguida, tape o recipiente e deixe repousar de 10 a 15 minutos, para que os princípios activos se dissolvam na água. No final deste período de tempo, passe a infusão por um filtro e se for necessário adoçar, faça-o de preferência com mel. No caso de utilizar saquetas de plantas, não necessitará de coar porque não haverão pedaços de ervas no chá. Coloque o resto do líquido no frigorífico e utilize noutra altura quando necessitar. A infusão deve ser consumida no prazo de 24 horas ou perderá as suas propriedades. Portanto é aconselhável fazer doses apenas necessárias.

Decocção - Neste método junta-se a planta e a água ao mesmo tempo num recipiente e deixa-se ferver entre 15 a 30 minutos. Este método é indicado para preparar chás das partes mais duras da planta, como a raíz, a casca e sementes que devido à sua dureza necessitam de manter-se em ebulição para libertar os princípios activos. Este método tem o inconveniente de algumas vitaminas serem destruídas pelo processo.
Modo de Preparação da Decocção: Coloque a planta num recipiente juntamente com a porção adequada de água e deixe ferver durante 15 minutos em lume baixo. Após isto deixe repousar durante uns minutos e filtre.

Maceração - Este método consiste em emergir a planta em água fria durante 10 a 24 horas, para o líquido adquirir as propriedades da planta. Pode-se auxiliar este processo friccionando a planta. Quanto mais bem triturada esta estiver, melhor será o aproveitamento dos seus princípios activos. A maceração pode ser preparada com água, álcool ou azeite. A maceração está indicada nas plantas cujos princípios activos sejam facilmente destruídos pelo calor ou sejam muito ricas em taninos (substâncias de sabor muito amargo que não passam facilmente para a água).
Modo de Preparação da Maceração: Coloque a planta com a porção de água necessária à temperatura ambiente, num recipiente que não deixe passar a luz. Deixe-a repousar num lugar fresco e ao abrigo do Sol e vá remexendo de vez em quando. Se a maceração for feita utilizando água, não deve ficar muito tempo para não começar a fermentar nem dar origem ao aparecimento de bolores.
A regra é a seguinte: Para maceração de plantas moles (folhas, flores e caules tenros) bastam 12 horas de repouso; Quando se trata de partes duras (sementes, raízes e cascas) deverá estar mais tempo mas não ultrapassando as 24 horas.

De seguida, filtre com o coador e se quiser pode aquecer suavemente antes de tomar. Pode conservar o que restar no frigorífico (se a maceração for em álcool ou azeite, pode conservar até um mês).

***
Doses de Chás:
Uma chávena (ou xícara) corresponde a cerca de 150ml. As quantidades recomendadas para um adulto são de 3, 4 ou 5 xícaras por dia, consoante o tipo de tratamento. Para as crianças segue-se o seguinte:
  • Crianças até 2 anos de idade > Reduz-se de 1/4 a 1/8 a dose do adulto;
  • Crianças de 2 a 6 anos de idade > Tomarão 1/3 da dose do adulto;
  • Crianças de 5 a 12 anos de idade > Tomarão metade da dose de um adulto;
Notas Finais:
Os chás no seu estado natural, sem adoçar, são sempre preferíveis. Porém se decidir adoçar, é aconselhável a preferência de mel a açúcar. Caso não haja mel, recomenda-se o açúcar mascavado, melaço de cana ou açúcar escuro ao invés do açúcar branco;
Chás a serem tomados como aperitivos antes das refeições nunca devem ser adoçados;
Chás preparados para diabéticos devem ser sempre sem açúcar ou mel;
Chás preparados para a expulsão de vermes nas crianças devem ser sem açúcar ou mel;

Plantas Medicinais


Desde sempre a Natureza ofereceu-nos um grande leque de plantas recheadas de propriedades medicinais que usadas podem melhorar a nossa saúde e até curar-nos de doenças. Se soubermos aliar essa medicina natural à medicinal convencional (dos médicos e medicamentos) seremos mais saudáveis.

As nossas avós cresceram a usar ervas para fazer cozinhados, xaropes, chás, infusões e muito mais. Até os médicos, antes do aparecimento dos medicamentos, recorriam às plantas e às suas propriedades medicinais para curar os seus pacientes e muitos dos medicamentos actuais extraem propriedades de plantas.

As plantas têm funções importantíssimas: Ajudam a purificar o ar; Servem de alimento ao Homem; Servem para curar doenças e desintoxicar o corpo de substâncias nocivas.

Não devemos, porém, esquecer-nos que apesar de todas as boas propriedades que as plantas nos oferecem, a sua utilização tem, também, efeitos secundários. Determinados cuidados são necessários antes da utilização de Ervas para um determinado propósito. Certas plantas precisam de um x de tempo após serem usadas até serem usadas de novo. Outras podem ser usadas todos os dias sem qualquer risco.

Alguns dos conselhos dados para o uso seguro das plantas medicinais são:
  • Saber a causa do problema que o afecta. Não deseje apenas aliviar os sintomas e sentir-se melhor, tente contactar um médico saber o problema e, após um diálogo com o médico, afirme que prefere optar por ervas ao invés de medicamentos e aí poderá começar;
  • Para que o tratamento com plantas medicinais resulte, é aconselhável que evite o consumo de álcool ou de outros hábitos como tabaco, etc.
  • Evite a auto-medicação inclusive nas plantas medicinais. Para certas doenças, principalmente as graves, seria melhor consultar um médico naturista ou homeopata e ser orientado durante o processo.
  • Usar unicamente plantas bem identificadas, conhecidas e devidamente preparadas. Muito cuidado com isto. Existem plantas extremamente semelhantes e plantas mortíferas, muito cuidado.
  • No caso de sofrer de alguma doença crónica certifique-se que a planta a ser utilizada não tem efeitos secundários ou contra-indicações com que seja preciso ter cuidado.
  • Caso o tratamento seja aplicado numa criança ou numa mulher grávida/que esteja a amamentar, é necessário ter muitíssimo cuidado e estudar com cuidado a erva e ter noção das doses a aplicar. Existem determinadas ervas que não devem ser utilizadas por grávidas pois têm propriedades que podem levar ao aborto ou a problemas na saúde do bebé.